Eles dizem que estão confiantes que o prefeito Caio Matheus deve liberar o serviço na Cidade

Walmir Barros

Um grupo de aproximadamente 30 trabalhadores que operam o serviço de transporte alternativo em Bertioga ajudou a lotar as dependências da Câmara dos Vereadores, durante a realização da sessão plenária de terça-feira (21), cujo espaço ficou pequeno para o grande número de pessoas que foram acompanhar os trabalhos dos parlamentares.

A presença maciça dos “profissionais de lotação” na sede do Legislativo foi para mostrar que a categoria está presente na Cidade e aguarda uma posição do favorável à liberação do serviço. Os líderes do transporte alternativo dizem que estão confiantes que o prefeito Caio Matheus vai regularizar a atividade no munícipio, acrescentando que as lotações são uma base de apoio ao transporte público do Município.

“Apoiamos a candidatura do prefeito, corremos junto com ele na campanha eleitoral, engrossamos as carreatas que foram realizadas na cidade durante o período político e foi firmado um compromisso que caso ele vencesse o transporte alternativo seria regularizado. Nós confiamos na palavra e ainda mantemos essa confiança. O transporte alternativo hoje em Bertioga já é uma realidade e conta com alto apoio da população, que necessita desse serviço”, fala a liderança das lotações.

Para mostrar a autenticidade do apoio político ao atual prefeito os trabalhadores das lotações levaram a faixa que “carregaram durante a campanha eleitoral”. Nela, é visível a adesão do transporte alternativo a Caio Matheus.  

Ele defendem a regularização argumentando que não querem serem visto como clandestinos. “Somos todos pais de famílias e com obrigações iguais a de todos os trabalhadores. Precisamos levar o pão de cada dia pra casa. Colocar comida na mesa. Não queremos ser tratados como bandidos com as autoridades nos perseguindo, nos multando e apreendendo nossos carros”, pede a categoria.

De acordo com os lideres da categoria, atualmente a frota de lotação é composta por 40 carros, que circulam por todos os bairros de Bertioga transportando trabalhadores, estudantes e demais usuários do transporte coletivo.

Na Câmara dos Vereadores até já existe um projeto visando a regularização da atividade, com o mesmo devendo ser levado a plenário para aprovação ou não do serviço na Cidade. “O que esperamos e estamos confiantes é que tanto o prefeito como os vereadores vão trabalhar pela regularização da atividade, porque nosso trabalho beneficia muito a população”, afirmam os líderes.

Destaca-se que o projeto é de autoria da vereadora Valéria Bento e foi apresentado em 2013 e posteriormente derrubado, em 2014, por ser considerado inconstitucional à época, pois segundo parecer “o projeto deve partir de iniciativa do Executivo, visto tratar-se de concessão de serviço público”.   

     

Comente a Notícia!

Seu nome:

Seu e-mail: (não divulgaremos o seu e-mail)

Seu comentário:


Comentários

Ainda não existem comentários para esta notícia.